Como começar a vender em marketplaces? Passo a passo

Em meio ao crescimento exponencial de casos do COVID-19 em diversos países, foram adotadas diversas medidas para a contenção do vírus, entre elas, o isolamento social e fechamento de estabelecimentos comerciais. Isso, sem dúvidas, tem causado grandes impactos em aspectos sociais e  econômicos.

Neste cenário, adaptações foram necessárias: empresas adotaram o trabalho remoto e digitalização de operações, por exemplo. Mas, e quanto aos lojistas que atuam somente em instalações físicas?

Para minimizar os impactos da crise, empresas de diversos portes e segmentos estão considerando adaptar suas operações ao ambiente digital. Um exemplo disso é a possibilidade de vender em marketplaces, que se tornou uma estratégia para ampliar as chances de sobrevivência desses negócios.

A seguir, entenda como funciona essa modalidade de comércio eletrônico e como começar a vender em marketplaces.

Marketplace: alternativa para iniciar sua presença digital

Antes de qualquer coisa, é preciso entender como funciona este modelo de negócio. Vender em marketplaces proporciona diversas oportunidades para quem quer aumentar a visibilidade de seus produtos e estreitar o contato com os clientes.

Isso porque os lojistas podem comercializar seus produtos em sites já consolidados, ou seja, é possível utilizar toda a estrutura de marketing e tecnologia destas marcas para atrair o seu público e gerar novos negócios.

Além disso, nas vendas pelo marketplace, não é necessário dispor de nenhum investimento inicial para começar a operar. Nesse caso, a única cobrança diz respeito à porcentagem de comissão a cada pedido realizado, que pode variar entre 10% e 30% do produto.

Por outro lado, é preciso cautela antes de fechar parceira com uma plataforma de marketplace. Veja, a seguir, como escolher o melhor parceiro e o passo a passo para implementar na sua empresa.

4 passos para começar a vender em marketplaces

 

Agora que você já sabe o que é marketplace e as principais vantagens, confira o passo a passo que levantamos em parceria com o E-commerce Brasil para começar a operar por meio dessas plataformas:

1. Pesquise e escolha o parceiro ideal

 

O primeiro passo para integrar a sua loja física ou online a um marketplace é buscar parceiros que façam sentido para o seu negócio. Além das lojas tradicionais como Submarino e Americanas.com, que trabalham com segmentos diversos, existem as lojas especializadas, que atendem um público específico.

Além disso, é importante conhecer como a plataforma opera, condições, exigências e diferenciais. Com esses dados em mãos é possível fazer a melhor escolha para o seu negócio.

Uma boa estratégia é investir em mais de um marketplace, o que aumenta as chances de alcance do seu produto. Durante a pesquisa, conheça a reputação da empresa por meio de referências no mercado, como E-bit e Reclame Aqui.

Além disso, é preciso identificar se a loja investe em segurança e possui certificado SSL e selos de segurança, como o do Site Blindado. Outra informação importante que deve ser levantada nesse estágio é a comissão cobrada pelo marketplace. Verifique se ela é viável dentro da precificação que sua loja tem adotado.

2. Reúna a documentação exigida

 

Não existem regras e condições padrões, adotadas por todas as plataformas. Contudo, alguns documentos podem ser exigidos para a efetivação da parceria, tais como:

  • Comprovante de Inscrição e Situação Cadastral perante a Receita Federal (CNPJ);
  • Comprovante de Inscrição Estadual;
  • Declaração do regime de tributação;
  • Consulta Pública ao Cadastro do Estado (SINTEGRA – ICMS);
  • Alvará de funcionamento do estabelecimento (localidade) que irá disponibilizar produtos;
  • Certidão Negativa de Débitos Tributários – Tributos Federais e Dívida Ativa da União;
  • Certidão Negativa de Débitos Trabalhistas – CNDT;
  • Certidão Negativa de Débitos Previdenciários;
  • Certidão Negativa de Falência e Concordata – Estado(matriz e filiais);
  • Certidão dos Distribuidores Cíveis do Estado sede;
  • Certidões dos Distribuidores Criminais do Estado sede (em face dos representantes legais e referentes ao CNPJ do Fornecedor);
  • Certidão de distribuição de ações e execuções cíveis e criminais da Justiça Federal;
  • Contrato/ Estatuto Social atualizado (constituição e última alteração) + Certidão simplificada do SINREM (obtida na Junta Comercial do estado sede).

3. Faça o cadastro

 

Após a escolha da plataforma e os documentos exigidos em mãos, chegou o momento de realizar o cadastro. É possível encontrar o formulário de cadastro no próprio site do e-commerce escolhido.

Após o preenchimento do formulário e o envio da documentação, o seu cadastro irá passar por um processo de aprovação (filtro, seleção, crivo). Cada marketplace possui um método de análise e aprovação. Enquanto alguns fazem a aprovação de forma automática, outros optam por uma seleção mais rigorosa e ainda oferecem a possibilidade de negociar a comissão sobre vendas.

4. Cadastre os seus produtos e inicie a operação

 

Após a aprovação do seu cadastro e efetivação da parceria, chegou o momento de “colocar a mão na massa” e enviar os dados dos seus produtos, a fim de iniciar a operação de vendas no marketplace.

Geralmente, a operação acontece da seguinte forma:

  • Tudo começa pelo envio dos dados dos seus produtos ao marketplace;
  • O marketplace divulga os seus produtos para milhares de visitantes;
  • Os consumidores escolhem os produtos e realizam a compra, diretamente no marketplace;
  • O marketplace envia para você os dados dos pedidos aprovados;
  • Você se responsabiliza pela entrega dos produtos e, também, pelas trocas e devoluções;
  • Finalmente, o marketplace repassa mensalmente para você o valor referente às vendas do mês, recolhendo a comissão sobre vendas (negociada no processo de adesão).

Se sua empresa já possui uma plataforma de e-commerce, é possível integrar o sistema com a plataforma. Nesse caso, o cadastro de produtos é feito de forma automática. Além disso, a operação (recebimento de pedidos, atualização de estoque e envio de novos produtos,) também poderá ser integrada. Dessa forma, é possível manter o seu estoque sempre atualizado, sem alterar o processo atual de vendas.

E então, o que achou das dicas? Está pronto para garantir a visibilidade de seus produtos nos sites das principais marcas do Brasil e começar a vender em marketplaces?

Aproveite para conhecer a iniciativa “Compre dos Pequenos”, uma solução gratuita desenvolvida pela Cora, que empodera Pequenos Negócios por meio da possibilidade de vender vouchers que dão direito aos seus clientes adquirirem os seus produtos no futuro, sem nenhum custo ao seu negócio. Saiba mais e cadastre sua empresa.

Leia mais